As profecias de
Daniel 2 e 7

Por volta de 600 a.C o rei da Babilônia, Nabucodonosor, sonhou com uma estátua pertubadora: a cabeça de ouro, o peito e braços de prata, o ventre e coxas de bronze, as pernas de ferro e pés de ferro e barro. Para o rei, os sonhos eram revelações. Nabucodonosor ordenou que os sábios, magos e feiticeiros do palácio interpretassem seu sonho, mas eles não conseguiram desvendá-lo.

Daniel clamou a Deus por uma resposta. Por meio de uma visão, o sonho lhe foi revelado. A visão de Daniel, e o sonho do rei revelavam que os diferentes materiais da estátua representavam os reinos que iriam ascender e decair no mundo. Também estava presente no sonho, uma grande pedra que atingiu a parte inferior da estátua e a destruiu. Entenda o que esses símbolos significam.

Ver tabela completa
Voltar

Leão com duas asas

O primeiro animal representa o reino de Babilônia cujo rei mais conhecido foi Nabucodonosor. Em Daniel 2 este reino é representado pela cabeça de ouro da estátua que o rei viu em sonhos, por ter sido considerado o reino mais rico de todos os tempos. O leão é considerado o rei dos animais e a águia, a rainha das aves. Este animal é um leão que tem asas de águia, representando rapidez de conquista. Mas, diz a profecia, que suas asas seriam arrancadas, ou seja, seu poder lhe seria retirado.

Babilônia
Babilônia

Urso com 3 costelas na boca (Daniel 7:5)

Representa o segundo império mundial, o Império Medo Persa. Houve uma união entre a Média e a Persa, e assim o império tirou o poder da Babilônia, penetrando em seus muros no espaço aberto por onde entrava um rio. Representado pelo peito e braços de prata na estátua, este era um reino de muita crueldade, como diz o texto “Levanta-te, devora muita carne” (Daniel 7:5). Por isso as três costelas em sua boca, que representam a voracidade na conquista da Líbia, Egito e Babilônia.

Medo-pérsia
Medo-pérsia

Leopardo com 4 asas e 4 cabeças (Daniel 7:6)

Se o leão tinha duas asas representando a rapidez de suas conquistas o que não dizer do terceiro império. A rapidez de conquista do leopardo seria muito maior. As quatro asas a rapidez das conquistas. Foi a rapidez com que o jovem Alexandre (o Grande), o grande estrategista militar que con-quisou o mundo com suas armas de bronze representado na estátua pelo ventre e coxas de bronze. Muito jovem, porém Alexandre, depois de uma noite de muita orgia e bebedeira morreu, sendo sido substituído por seus quatro generais: Cassandro, Lisímaco, Ptolomeu e Seleuco. Por isso as quatro cabeças vistas por Daniel neste animal. Percebemos com isto, a riqueza dos detalhes que a profecia apresenta. Os símbolos descritos há milhares de anos, aconteceu exatamente como o previsto. Os símbolos descritos há milhares de anos, aconteceu exatamente como o previsto. Os símbolos descritos há milhares de anos.

Grécia
Grécia

Animal terrível e espantoso com dentes de ferro e 10 chifres (Daniel 7:7)

Este animal causou especial espanto em Daniel, por isso o chamou de terrível e espantoso. Com seus dentes de ferro despedaçava e devorava suas vítimas. Na estátua é representado pelas pernas de ferro e os dez dedos dos pés. Já os dez chifres representam na história as dez nações que originaram a Europa: Anglos (Inglaterra), Burgundos (Suíça), Francos (França), Germanos (Alemanha), Hérulos (Sul da Itália), Lombardos (Norte da Itália), Ostrogodos (Áustria), Suevos (Portugal), Vândalos (Sul da Espanha) e Visigodos (Norte da Espanha). Como se verá na sequência, três desses chifres cairão e darão lugar a outro de aspecto assustador.

Roma
Roma

Chifre pequeno

Na visão de Daniel, mais um chifre surgiu entre aqueles dez, para isso três deram lugar a este que começou pequeno mas, se engrandeceu muito, com um aspecto bastante assustador. De acordo com a profecia de Daniel, o quarto reino devoraria toda a Terra e a faria em pedaços”. A história comprova que o Império Romano realmente arrasou a Terra. Na estátua este reino é representado pelas pernas de ferro. A continuação do relato profético revela um forte aspecto religioso, principalmente no que diz respeito ao chifre [Roma cristã] que surgiu dentre os dez. O texto contém uma lista de intenções e realizações que este chifre faria, revelando assim a estratégia satânica em se estabelecer como um poder, em oposição a Deus: fará a Terra em pedaços, fará guerra aos santos, proferirá palavras contra o Altíssimo, cuidará em mudar os tempos e a lei e destruirá os poderosos e o povo santo, fará prosperar o engano.

10 reinos
10 reinos

Volta de Jesus

O ponto alto da profecia é revelado no final do sonho de Nabucodonosor. Esse reino é representado no sonho por uma pedra, que foi cortada sem o auxílio das mãos, e destruiu toda a estátua. A pedra representa Cristo, e a destruição da estátua o fim dos reinos terrestres e o estabelecimento do Seu reino eterno que jamais será destruído. A profecia narra nada mais do que a Segunda vinda de Jesus. O líder da reforma protestante Martinho Lutero, no século XIV, também sustentou a interpretação de que as pernas, pés e dedos da estátua representavam Roma e que este império fora dividido nas modernas nações da Europa. Ele acreditava que a pedra representava o Reino de Cristo a ser estabelecido em Sua Segunda Vinda.

Volta de jesus
Volta de jesus